sábado, 30 de janeiro de 2010

Pneus reservas eis a questão!


Nesta sexta resolvi pedalar até Paranaguá, saí cedo de casa, arrumei as coisa no alforje e fui, a pedalada estava boa apesar do número de acidentes que ví na linha verde de madrugada, se eu fosse supersticioso até poderia dizer que era um aviso, e se eu fosse repórter policial tinha ganho o dia, mas não vem ao caso.
Cheguei cedo no pedágio filei aquele café básico de sempre e fiquei um pouco para esperar clarear, já que até ali ainda tem luz artificial mas na serra sem chance.
Quando passei o pedágio uns 5 km depois a minha câmara simplesmente estourou, virei a magrela e iniciei o conserto,vasculhei o pneu por dentro para ver se encontrava o objeto perfurante e nada, revisei também o aro e nada foi encontrado também, coloquei a câmara reserva pra economizar tempo e pensei quando chegar em Paranaguá remendo a outra, montei tudo ainda com pouca luz e saí, 200 mts depois outro estouro, aí é de fu... pensei, virei a magrela desmontei tudo e para a minha surpresa o furo era idêntico ao anterior e no mesmo lugar, foi então que me liguei que não era um objeto cortante e sim algo na bike o que me deixava intrigado é que os furos ficavam a 20 cm do bico no lado interno como se um raio estivesse solto e fizesse o estrago, remendei as duas câmaras e coloquei uma no lugar e inflei o máximo que pude com a bombinha manual
comecei a analizar e lá estava ela, uma bolha ao lado do aro,segundo o Baron dono da Baron Bikes as vezes acontece do aro ir desgastando o pneu até que ele não suporte reter a câmara e como a bike estava pesada devido ao alforje o bagulho não aguentou, agora vou me reportar a diversas dicussões que já tivemos sobre levar ou não pneu reserva em viagens mensmo as consíderadas curtas como esta que ia fazer:
Já fizemos diversas viagens mais longas em que não necessitamos de pneu reserva,sempre damos uma olhada antes e se o pneu estiver em boas condições tocamos em frente, porém desta vez o defeito só foi visível depois que o pneu foi desmontado, outro perigo é passarmos em algo cortante que rasgue até o pneu, pois essas margens de BR são verdadeiros lixões, alí são encontrados cacos de vidro, arames de pneus de caminhão, parafusos madeiras e tudo mais que se possa imaginar, e se isso acontecer em um local isolado onde não se tenha mais nada por perto?
Serei sincero, provavelmente não levarei pneu reserva na próxima viagem, pelo menos nestas mais curtas, porque se pensarmos dessa forma teriamos que levar todas as peças da magrela em dobro, mas que um pneu reserva faz falta em determinados momentos isso faz!
Para finalizar a história voltei caminhando para o pedágio onde marquei com a Gudy meu resgate, e morri com trintão num pneu novo no Baron que segundo ele é bom mas a primeira coisa que li no pneu foi "made in china"!

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Goró abandonado!


Foram encontradas duas caixas de Scotch Charles Mackinlay & Co.na cabana do acampamento base da expedição de Ernest Shackleton em 1907 na Antártica, o whisky que era um blend premium foi abandonado pela tripulação de Ernest devido a euforia dos mesmos por serem resgatados após tentativa fracassada de chegar ao polo sul.
As caixas foram descobertas enquanto uma equipe de conservacionistas limpavam o gelo debaixo da cabana, estes pretendem retornar entre janeiro e fevereiro para retirá-las com cuidado, pena que mesmo que tenham sucesso no resgate não poderão tomar umas doses, já que um tratado internacional dita que quaisquer artefatos encontrados que sejam relacionados às primeiras explorações do continente devem permanecer lá, intactos ( quem garante que não foram três caixas encontradas), caso o whiski permaneça lá irá se juntar a outros 4500 itens em exposição na cabana que é visitada por 900 navios de turismo por ano.
Segundo cientistas entendidos neste esquema de conservação de rango e bebidas as rolhas são os pontos a serem observados, pois, se elas resistiram à dilatação e contração que as garrafas sofreram devido ao frio(-45°) o whisky provavelmente ainda conseva o mesmo sabor que tinha em 1907.

Fonte: Revista Go outside

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Caminhada dominical !



Acordei por volta das 8:30 hrs do domingão, abri a cortina só pra ver, e até que o tempo estava razoável, liguei pro geromo mas o mesmo se encontrava hibernando, fiquei de boa e fui assistir o esporte espetácular tava querendo ver aquela reportagem "nas ondas de noronha" enquanto tomava meu café já sem esperanças o pia me liga perguntando o que eu queria, já intimei para escalarmos no anhangava e ele topou, quinze minutos depois estavamos na estrada.
Chegamos e ficamos de papo com o rapaz que cuida do estacionamento (Julinho se não me engano) e segundo ele as vias estavam bem molhadas devidos as chuvas que haviam caido à noite, iniciamos a subida já com um plano B em mente, caso não conseguissemos escalar fariamos o cume e voltariamos pelo samambaia; E foi o que fizemos pois chegamos na base das vias e estavam todas molhadas, só a andorinhas estava sendo escalada por um casal, então depois de uma breve olhada tocamos em frente, a rampa estava bem úmida passamos com cuidado e chegamos ao cume e vimos muitas chuvas isoladas caindo longe e para os lados do PP estava bem fechado, ficamos curtindo um pouco no cume e pegamos a "estrada" que desce o samambaia,inclusive aquela trilha tá precisando urgente de uma manutenção!
Quando chegamos na quebradinha pra ir pra casa do Chiquinho o sol apareceu com força total a pernadinha foi legal, então voltamos pra casa passando antes pra tomar uma na pastelaria do centro de Quatro Barras!
Obs: Se beber não dirija!!!

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

"Sopa de minhoca" é repetido após dois anos!!


Mais um grande feito para a escalada Paranaense!!
Após dois anos o Bolder sopa de minhoca foi repetido, o nome faz alusão a sua dificuldade e ficou todo esse tempo sem repetição devido a complicação de acesso já que a calçada acaba na frente da lanchonete do Pedro na primeira pedra de Itapoa e sua alta graduação inibe mesmo os mais famosos escaladores, segundo relatos na década de 90 Dan Osman tentou mandar o bolder mas adrenou na metade e não conseguiu desescalar, tendo que ser resgatado pelo corpo de bombeiros de SC.
Iniciei a preparação sexta à noite carreguei o carro com tudo que ia precisar para a difícil empreitada, após muitas horas de viagem chegamos ao abrigo tentei dormir um pouco mas a tensão e os pernilongos não deixaram ter uma noite muito boa, acordei cedo e iniciei o porteio dos equipos, montei o base onde termina a calçada deste ponto são mais 100 mts pela areia até a base do bolder,caminhei rápido cheguei nas pedras as quais passei com dificuldade e logo o aviste, caminhei mais um pouco e me vi frente a frente com o terror da nata do "climb" paranaense respirei fundo tirei meu havaianas e mandei ver.
Movimento após movimento lutei contra o meu psicológico as ondas estourando na pedra criavam um clima de mais emoção ainda, fiz o último movimento e completei o bolder, nem pude crer no que havia acabado de fazer desci contornei a rocha para pegar meu chinelo e voltei para o base.
Estou feliz pelo feito, porém estou com medo de ser caçado por abrir vias em locais proibidos como aconteceu com um amigo meu!!!

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

O tempo voa !!!

É galera, agora em Dezembro fez um ano da nossa vigem ao Cordon del Plata!!



video

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

A vida pelos olhos de uma "butuca"


Antes de escrever este relato gostaria de esclarecer que essa história foi baseada em fatos reais!
"O calor estava forte, e faminta voava alucinada me perguntando porque cargas d'água a natureza não me fez herbívora, já que mato vejo de monte, mas meu pensamento foi interrompido por um forte barulho na mata, até pousei para que o bater das minhas asas não me atrapalhassem de ouvir com clareza, derepente eles surgiram e não pude crer no que meus olhos esbugalhados insistiam em me mostrar; Um grupo com três criaturas bípedes estranhas com uma baita corcunda colorida, vinham quebrando mato e fazendo uns ruídos que não consegui entender, também nem fiz questão pois com a fome que estava só pensava naquele maravilhoso sabor de O+, o meu preferido por sinal!
Estava pronta para aquele rodízio maravilhoso, ataquei primeiro a grande corcunda quase quebrei o bico naquele couro duro e não consegui nada ( devia ter dado atenção a placa que avisava "CORDURA") tentei então os braços mas os bichos são espertos e se debatiam muito por pouco não levei uma chapéuzada voei para a esquerda na hora H, resolvi apelar então, o ataque na canela e panturrilha lá nunca falha, pousei com jeitinho tomei um gole e quando me preparava para o bis, levei um tapão e apaguei...
Acordei com a chuva que começava a cair, quase morri afogada com um dos pingos, olhei em volta nem sinal deles, minha asa direita doía muito e minha cabeça também, estava com a boca seca, me arrastei para baixo de uma folha e fiz a velha promessa de que nunca mais ia beber sangue e pensando: Desta vez viro vegetariana!!!